Digitalização no setor do agro promove dinamismo, organização e competitividade.

Aumentar a produtividade, reduzir o desperdício e melhorar a comercialização, estão atualmente, entre as principais metas nas propriedades rurais, e para auxiliar o produtor nessas atividades o uso de tecnologias têm se tornado cada vez mais comum no agro.

A Nutrien tem trabalhado desde 2018 na implementação de uma plataforma digital que já conta com uma série de serviços ao produtor e já captura mais de U$D 1bi em vendas no mundo, é o que afirma Ricardo Rossetto, líder de IT & Digital da empresa no Brasil. “Temos nos aprofundado na criação de produtos digitais, de planejamento e gestão das propriedades, e-commerce, agricultura de precisão e sustentabilidade, todo esse trabalho é realizado através do desenvolvimento de centros de excelência em dados, internet das coisas, clima, solo, entre outros desafios, além da busca de soluções aos problemas dos agricultores em diversas startups” conta.

Seja antes ou depois da porteira, nos estágios de pré e pós-produção, com aplicativos que auxiliam na compra de insumos, na gestão da propriedade ou na venda da produção, a inovação no campo é marcada pela introdução de tecnologias para abrir novos mercados e aumentar a produtividade no campo. É o que comprova também uma pesquisa realizada pela McKinsey, a pesquisa “A Mente do Agricultor Brasileiro na Era Digital” levantou que no Brasil, 36% dos pesquisados fazem compras online para a fazenda, contra 24% nos EUA.

Para a Nutrien, a era da agricultura 4.0 está apenas começando. O setor já vinha se digitalizando com objetivo de ser mais sustentável e produtivo, e agora o comportamento de compra, de produção e comunicação foi acelerado devido as mudanças provocadas pela pandemia.

“Loja e relacionamento físico, impulsionado pelo uso de recomendações digitais e também da ampliação da capacidade de se relacionar que o digital pode trazer é um modelo poderoso. O sucesso está na sobreposição entre digital e físico”

Ricardo Rosseto – Líder de IT & Digital

Ricardo ainda frisou que a implementação dessas tecnologias são um grande desafio devido à grandes ofertas de produtos digitais que é extremamente fragmentada e confusa ao produtor. “Ao mesmo tempo, além de crescermos em novas geografias e portfólio de produtos, estamos criando uma nova forma de relacionamento e serviços ao produtor e as tecnologias digitais tem um papel de protagonista dessa mudança pois através delas é que vamos mostrar aos nossos agricultores como vamos oferecer nossas recomendações, produtos e serviços”.

Para Ricardo, este é o momento de investir na digitalização e explorar as oportunidades, “o agricultor, assim como os consumidores brasileiros, é mais aberto a mudanças, entendemos que para ter sucesso com esse tipo de solução na agricultura é necessário termos soluções de relacionamento, recomendações e serviços o que naturalmente vai levar o agricultor a usar o nosso e-commerce, que é um dos nossos pilares digitais”, disse.

Aumentar a produtividade, reduzir o desperdício e melhorar a comercialização

O trabalho da Nutrien tem como objetivo criar um novo modelo de relacionamento que integra o digital e o físico, buscando tirar o melhor dos dois formatos. Para o presidente LATAM Nutrien, André Dias, o digital ainda não é uma plataforma sozinha, ele acredita no conceito ominichannel, que é a complementariedade dos diversos canais “Eu acredito numa abordagem digital com um consultor na ponta junto do agricultor dando assistência, ou com uma loja próxima para que o agricultor possa ir e fazer seus negócios”.

Para Ricardo, este é o momento de investir na digitalização e explorar as oportunidades, “o agricultor, assim como os consumidores brasileiros, é mais aberto a mudanças, entendemos que para ter sucesso com esse tipo de solução na agricultura é necessário termos soluções de relacionamento, recomendações e serviços o que naturalmente vai levar o agricultor a usar o nosso e-commerce, que é um dos nossos pilares digitais”, disse.

Compartilhe nas redes sociais!